16 de outubro de 2013

Trans forma

Observe as horas passar
Voando ou arrastadas, observe ali no cantinho...
Parada. Medíocre. Sem nada a oferecer.
Então, abre seus olhos para o novo.
Cuspa na cara da vida, entregue seus amores, entregue tudo aos belos e gordos rebanhos.
Esqueceu de quem te amou?
Abra seus olhos para a realidade, quebre os tijolos, derrube as placas, estraçalhe os muros e grite mais alto o que lhe dizem ao pé do ouvido.
Deus está te chamando pra liberdade e você aí, fingindo ser liberto por ter uma taça de vinho barato na mão.
Cuidado com os cães ladrando loucamente.
Cuidado com os tijolos, com os gordos rebanhos, com os olhos que sangram.
Feche a porta ao sair.
Apague a luz.
Crie coragem pra pedir perdão.
Ouça, ouça ele sussurrar que as horas estão passando.
Da prosa e do verso que recorri eu não sei absolutamente nada.
Apenas vou jogando as palavras porque elas querem sair...
Dessa forma, será que digo algo que te construa?
Apenas fuja das aberrações.
Se não souber onde estão tais, siga as placas.
Labaredas, métricas, revisões e grandes alardes em torno das marcações em meu corpo...
Quebre seus pré conceitos e diga que estou errada! Desafino-te.
Repense seus tabus.
Refaça as palavras.
Refiz minha vida.
Acordei e me deparei com o amor sorrindo.